Safra de 2012 bate recorde e chega a 162,1 milhões de toneladas

A 12ª avaliação da produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas confirmou uma safra recorde de 162,1 milhões de toneladas em 2012, 1,2% superior à obtida em 2011 (160,1 milhões de toneladas) e 0,3% menor que a estimativa de novembro (162,6 milhões de toneladas). A área colhida em 2012, de 48,8 milhões de hectares, apresentou acréscimo de 0,3% frente à área colhida em 2011 (48,7 milhões de hectares) e diminuição de -0,1% na comparação com a avaliação do mês anterior (48,9 milhões de hectares). O arroz, o milho e a soja foram os três principais produtos deste grupo, e, somados, representam 91,6% da estimativa da produção, respondendo por 85,1% da área colhida. Em relação ao ano anterior, o arroz apresentou uma redução na área de 13,7%, o milho, um acréscimo de 7,3% e a soja, acréscimo de 3,7%. No que se refere à produção, a do milho foi 27,0% maior, enquanto a de arroz e soja sofreram redução de, respectivamente, 15,4% e 12,3%, quando comparados a 2011.

Em dezembro de 2012, o IBGE também realizou o terceiro prognóstico de área e produção para a safra de 2013. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas está estimada em 178,0 milhões de toneladas, 9,9% superior à safra colhida em 2012. Este incremento deve-se à recuperação e ao aumento previsto para as regiões Sul (27,9%) e Nordeste (32,3%), que sofreram com problemas climáticos em 2012. A área a ser colhida deve crescer 4,0% na região Sul e 23,5% na Nordeste. A região Centro-Oeste apresenta 4,1% de expansão de área, impulsionada pelos bons preços dos produtos, notadamente de soja e milho. As regiões Sudeste e Norte também estimam uma maior área de grãos para 2013, superando em 4,0% e 0,1%, respectivamente, as áreas colhidas em 2012.

A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na página:
www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/lspa.

Em 2012, entre as grandes regiões, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição: Centro-Oeste, 70,8 milhões de toneladas; Sul, 55,5 milhões de toneladas; Sudeste, 19,2 milhões de toneladas; Nordeste, 11,9 milhões de toneladas e Norte, 4,7 milhões de toneladas. Comparativamente à safra passada, foram constatados incrementos nas regiões Norte (7,3%), Sudeste (11,7%) e Centro-Oeste (26,2%) e decréscimos nas regiões Sul (-18,3%) e Nordeste (-18,4%). O Mato Grosso liderou como maior produtor de grãos, com uma participação de 25,0%, seguido pelo Paraná (19,1%) e Rio Grande do Sul (11,8%). Somados, estes estados representaram 55,9% do total nacional.

Estimativa de dezembro de 2012 em relação à produção obtida em 2011

Dentre os 26 produtos selecionados, nove apresentaram variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: amendoim em casca 1ª safra (24,9%), aveia em grão (13,4%), cacau em amêndoa (4,9%), café em grão arábica (17,3%), café em grão canephora (9,3%), cebola (0,1%), feijão em grão 3ª safra (11,5%), milho em grão 2ª safra (72,9%) e sorgo em grão (5,8%). Com variação negativa: algodão herbáceo em caroço (-2,2%), amendoim em casca 2ª safra (-11,7%), arroz em casca (-15,4%), batata-inglesa 1ª safra (-9,0%), batata-inglesa 2ª safra (-19,2%), batata-inglesa 3ª safra (-12,4%), cana-de-açúcar (-5,6%), cevada em grão (-14,3%), feijão em grão 1ª safra (-36,9%), feijão em grão 2ª safra (-0,4%), laranja (-4,3%), mamona em baga (-77,1%), mandioca (-4,0%), milho em grão 1ª safra (-2,6%), soja em grão (-12,3%), trigo em grão (-23,3%) e triticale em grão (-5,4%).

Destaques na estimativa de dezembro em relação a novembro 2012

Comparativamente ao mês de novembro, oito produtos se destacaram nas estimativas de produção: arroz em casca (-0,3%), café em grão arábica (1,5%), cana-de-açúcar (2,2%), laranja (-0,5%), mandioca raízes (-0,5%), milho em grão 2ª safra (-0,3%), soja em grão (0,2%) e trigo em grão (-9,8%).

Perspectivas para a produção agrícola de 2013

Dentre os 13 produtos de maior importância analisados para a próxima safra de verão, nove apresentam variações positivas na produção, comparativamente à safra de 2012: o arroz (4,6%), a batata-inglesa 1ª safra (2,9%), o café canephora (5,8%), a cana-de-açúcar (5,6%), o feijão 1ª safra (29,9%), o fumo (5,8%), a mandioca (4,3%), o milho 1ª safra (7,2%) e a soja (25,3%). Com decréscimo, estão relacionados: o algodão herbáceo (-23,1%), o amendoim 1ª safra (-11,0%), o café arábica (-9,5%) e a cebola (-2,9%). Com relação à área prevista, apresentam variação positiva frente a área colhida em 2012: o arroz (0,5%), o café arábica (0,5%), o café canephora (0,8%), a cebola (0,0%), o feijão 1ª safra (19,2%), o milho 1ª safra (4,2%) e a soja (8,9%). Os produtos que devem apresentar retração quanto à área colhida são: o algodão herbáceo (-23,3%), o amendoim 1ª safra (-0,9%), a batata-inglesa 1ª safra (-5,1%), a cana-de-açúcar (-2,4%), o fumo (-0,2%) e a mandioca (-3,7%).

ALGODÃO HERBÁCEO (em caroço) – O prognóstico do algodão herbáceo para o ano de 2013 apresenta redução na área de plantio de cerca de 25,0% frente ao ano passado. Com informações de quase a totalidade das áreas de produção, a previsão de redução na produção é de 23,1% na comparação com 2012. Só no estado de Mato Grosso, maior produtor nacional, a redução na produção deve ser de, aproximadamente, 725 mil toneladas.

ARROZ (em casca) – A estimativa de produção de arroz em 2013 é de 11.900.575 toneladas, indicando um crescimento de 4,6% em relação à safra de 2012. A área a ser colhida está estimada em 2.383.728 hectares, um aumento de 0,5% em relação ao ano anterior. A região Sul deve produzir 9.301.486 toneladas em 2013, devendo participar com mais de 78% da produção nacional, uma expansão de 3,9% em relação a 2012. Neste 3º prognóstico, observa-se um aumento de 2,9% na estimativa de produção de arroz em relação à avaliação de novembro, reflexo do aumento de 2,7% na produtividade esperada e de 0,3% na área a ser colhida. Reavaliações no Rio Grande do Sul, maior produtor nacional, incrementam as estimativas em 258.963 toneladas, ou 3,3% a mais.

CAFÉ TOTAL (em grão) – O IBGE realizou em dezembro de 2012 a primeira estimativa para a safra nacional a ser colhida em 2013, que totaliza 2.887.056 toneladas (48,1 milhões de sacas), consideradas as espécies arábica e canephora. Somadas, as duas espécies apresentam um decréscimo de 5,8% em relação à safra de 2012, que foi de alta produtividade.

CAFÉ ARÁBICA (em grão) – Para o café arábica, que representa cerca de 72,0% do total colhido no país, observa-se um decréscimo de 9,5% de produção em relação a 2012. O Brasil deverá produzir 2.086.492 toneladas do grão, o que equivale a 34,8 milhões de sacas de 60 kg. A área destinada à colheita é de 1.596.429 ha, 0,5% superior à área colhida no ano passado. A área total ocupada com a cultura em todos os estágios de desenvolvimento decresce 8,6% no país. Minas Gerais, maior produtor brasileiro de café arábica, aponta decréscimo de 9,1% na produção esperada para 2013, totalizando 1.436.151 toneladas, o que representa 68,8% do total da produção de arábica esperada para o país em 2013.

CAFÉ CANEPHORA (em grão) – Para o café canephora, a estimativa inicial para 2013 é de que sejam produzidas 800.564 toneladas (13,3 milhões de sacas), 5,8% a mais que em 2012. A área a ser colhida está estimada em 507.524 ha e a área total ocupada com esta cultura é de 514.160 hectares. O Espírito Santo, maior produtor nacional de canephora, deve produzir, em 2013, 80,4% (643.359 toneladas ou 10,7 milhões de sacas) da produção nacional, um aumento de 9,3% em relação a 2012.

CANA-DE-AÇÚCAR – Para 2013, são estimados 712,5 milhões de toneladas de cana, 5,6% maior que a produção obtida em 2012. Apesar das estimativas melhores de produção, a cultura está perdendo área nesta avaliação para 2013, com redução da área total em 8,5% e redução da área destinada à colheita em 2,4%, sendo agora avaliadas em, respectivamente, 9,7 milhões de hectares e 9,2 milhões de hectares.

FEIJÃO (em grão) 1ª safra – Em 2013, a área destinada à colheita do feijão 1º safra deve crescer 19,2% frente a 2012, passando de 1.564.940 para 1.865.939 hectares. A produção de feijão 1ª safra deve alcançar 1.601.095 toneladas, um aumento de 29,9% frente à safra correspondente de 2012, sendo reflexo também do aumento da área a ser colhida e do rendimento médio, que deve crescer 8,9% em função do emprego de mais insumos e da previsão de situações climáticas normais.

MANDIOCA (raízes) – Embora as áreas plantada e colhida com a mandioca em 2013 estejam caindo 14,9% e 3,7%, respectivamente, em relação a 2012, a estimativa de produção está crescendo 4,3%, devendo alcançar 25,4 milhões de toneladas. Este aumento de produção é creditado à elevação de 8,3% no rendimento médio do país, que está sendo puxado para cima pelo Piauí (109,3%), Bahia (21,0%), Maranhão (9,3%), Espírito Santo (1,5%), Rio Grande do Sul (6,8%) e pela projeção de acréscimo de 8,7% no rendimento médio dos outros estados que ainda não informaram e que representam 48,1% da produção total brasileira.

MILHO (em grão) 1ª safra – Neste 3º prognóstico, verificou-se uma produção de 35,7 milhões de toneladas de milho, 7,2% maior que a observada em 2012 e 0,2% inferior ao segundo prognóstico. A área a ser colhida (7.344.010 ha) apresentou aumento de 4,2% e o rendimento médio (4.857 kg/ha) de 2,9% em relação ao mesmo período de 2012. Porém, observa-se uma redução de área plantada (-4,3%) quando comparado com a última safra. O Paraná aparece como maior produtor de milho 1ª safra (7,0 milhões de toneladas), praticamente empatado com Minas Gerais, segundo maior produtor, com diferença de apenas 3.260 toneladas, ambos com 19,5% de participação na safra nacional. No Paraná, a produção esperada para 2013 é 6,5% maior que a de 2012, apesar da redução de 12,6% em área, devido ao rendimento médio esperado ser 21,8% maior que a última safra, na qual houve grandes problemas climáticos. Minas Gerais apresenta redução de 1,8% na produção em relação ao ano anterior.

SOJA (em grão) – Em 2012, a produção nacional do grão diminuiu mais de 9,2 milhões de toneladas frente ao ano anterior. Em contrapartida, a previsão para 2013 é de grande aumento na produção da soja, pois a área a ser colhida é 8,9% superior (+2.223.961 ha), à colhida em 2012. No estado do Mato Grosso, maior produtor de soja do país, a expectativa de colheita é 10,3% (24.096.931 t) maior que a colheita anterior. Na região Sul, que sofreu com a seca em 2012, a expectativa de aumento da produção está em 99,3% no Rio Grande do Sul, 51,1% em Santa Catarina e 38,0% no Paraná. Na região Nordeste, Piauí, Maranhão e Bahia, somados, esperam produzir um total de 7.305.532 toneladas.

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) é uma pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras dos principais produtos agrícolas, cujas informações são obtidas por intermédio das Comissões Municipais (COMEA) e/ou Regionais (COREA); consolidadas em nível estadual pelos Grupos de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias (GCEA) e posteriormente, avaliadas, em nível nacional, pela Comissão Especial de Planejamento Controle e Avaliação das Estatísticas Agropecuárias (CEPAGRO) constituída por representantes do IBGE e do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (MAPA).

Em atenção a demandas dos usuários de informação de safra, os levantamentos para Cereais, Leguminosas e Oleaginosas (caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale) foram realizados em estreita colaboração com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), continuando um processo de harmonização das estimativas oficiais de safra, iniciado em outubro de 2007, para as principais lavouras brasileiras.

Fonte: IBGE

/div